O leitor Lucas Straub indicou um video, do qual eu havia postado na comunidade Parkour Brasil em Janeiro (e foi posteriormente apagado do youtube), onde Ilabaca fala sobre sua experiência e sua visão a respeito de competições eo “Desafio MTV” do qual participou. Resumidamente ele diz que antes “eles” a frente disso tentando fazer de uma forma que fosse o menos prejudicial possível do que lavar as mãos e deixar que outras pessoas sem as mesmas éticas se apropriassem do projeto. Se você entende inglês, clica aqui pra ver o vídeo, senão clique no botãozinho pra ver abaixo a tradução livre que eu fiz em Janeiro.

Falando da MTV, da competição que eu participei uns meses atrás..
E o motivo de eu ter participado, é que todos discordamos de competição, certo? Sabemos que é errado. Mas por não participar, só faz piorar. Se fazemos parte disso, podemos pelo menos.. É o campo de batalha! É como se não quiséssemos participar da batalha, que é a mídia. Porque o que eles fizeram, as pessoas vão escutar.
Então é por isso que eu quis me envolver. Não por causa da competição, mas por ser um lugar onde eu posso falar para as pessoas sobre o que acredito. Então demorou um ano e meio de conversas com a MTV sobre não ser só uma competição, homem versus homem, eu falava sobre o que eu acredito, sobre como vejo parkour, bla bla..
E as duas primeiras etapas não foram competição e nos deu a oportunidade de falar a verdade. Sobre no que acreditamos no Parkour, sabe. Sobre o que acreditamos ser a mensagem a respeito do que nos leva a fazer o que fazemos.
E a última etapa, foi competição total, homem versus homem.
Mas tudo que precisávamos era que dessas 2 primeiras etapas para mudar a visão de todos sobre o que somos. E falar nas entrevistas para às pessoas que estiverem olhando porque eles acham que é impressionante, bla bla..
Então nessa primeira eram 2 grupos de 4 pessoas fazendo um video, como no youtube.
Embora não seja certo pensar assim, mas de quem fosse o video que as pessoas gostassem mais, eles iriam para a terceira etapa. As pessoas que perderam essa etapa vão para a segunda etapa.
Agora o meu video, que eu criei com os caras que estavam comigo, tinha um cara com uma lesão no tornozelo, um cara era muito pequeno, e eu não to falando que é uma coisa ruim ser pequeno, grande, etc, mas usamos isso a nosso favor. O que as pessoas enxergam como fraquezas, fazemos disso nossa vantagem.
nosso video era só um jogo. Nós colocamos uma banana no topo do prédio, começamos de baixo, e corremos até o topo enquanto brincando e empurrando quem tivesse na frente, pra pegar a banana.. Era um jogo divertido, estávamos só brincando como um grupo de pessoas. Mas ao mesmo tempo, como voces viram hoje, nós estávamos jogando as pessoas assim e basicamente o Daniel (o baixinho) eu e Pip, nos viramos e por ele ser tão pequeno e leve, jogamos ele para o alto mais alto do que aquelas luzes, e o cara com o tornozelo machucado puxa ele pra cima e é lindo, porque é trabalho em equipe, sabe?
E basicamente, nós perdemos claro, porque eu acredito que as pessoas podiam enxergar a verdade no que fazíamos, nos colocaram à prova, porque eles concordaram com o outro video que eram só grandes manobras, monkey gainer, bla bla..
Então fizeram isso porque é o que o mundo lhes diz o que é melhor e o que não é, e escolheram esse.
Mas começaram a entender pela nossa atitude que era algo mais, uma filosofia..
Então fomos pra segunda etapa… (fim do video)

Eu comecei a falar da MTV, da competição que eu participei uns meses atrás..
E o motivo de eu ter participado, é que todos discordamos de competição, certo? Sabemos que é errado. Mas por não participar, só faz piorar. Se fazemos parte disso, podemos pelo menos.. É o campo de batalha! É como se não quiséssemos participar da batalha, que é a mídia. Porque o que eles fizeram, as pessoas vão escutar.
Então é por isso que eu quis me envolver. Não por causa da competição, mas por ser um lugar onde eu posso falar para as pessoas sobre o que acredito. Então demorou um ano e meio de conversas com a MTV sobre não ser só uma competição, homem versus homem, eu falava sobre o que eu acredito, sobre como vejo parkour, bla bla..
E as duas primeiras etapas não foram competição e nos deu a oportunidade de falar a verdade. Sobre no que acreditamos no Parkour, sabe. Sobre o que acreditamos ser a mensagem a respeito do que nos leva a fazer o que fazemos.
E a última etapa, foi competição total, homem versus homem.
Mas tudo que precisávamos era que dessas 2 primeiras etapas para mudar a visão de todos sobre o que somos. E falar nas entrevistas para às pessoas que estiverem olhando porque eles acham que é impressionante, bla bla..
Então nessa primeira eram 2 grupos de 4 pessoas fazendo um video, como no youtube.
Embora não seja certo pensar assim, mas de quem fosse o video que as pessoas gostassem mais, eles iriam para a terceira etapa. As pessoas que perderam essa etapa vão para a segunda etapa.
Agora o meu video, que eu criei com os caras que estavam comigo, tinha um cara com uma lesão no tornozelo, um cara era muito pequeno, e eu não to falando que é uma coisa ruim ser pequeno, grande, etc, mas usamos isso a nosso favor. O que as pessoas enxergam como fraquezas, fazemos disso nossa vantagem.
nosso video era só um jogo. Nós colocamos uma banana no topo do prédio, começamos de baixo, e corremos até o topo enquanto brincando e empurrando quem tivesse na frente, pra pegar a banana.. Era um jogo divertido, estávamos só brincando como um grupo de pessoas. Mas ao mesmo tempo, como voces viram hoje, nós estávamos jogando as pessoas assim e basicamente o Daniel (o baixinho) eu e Pip, nos viramos e por ele ser tão pequeno e leve, jogamos ele para o alto mais alto do que aquelas luzes, e o cara com o tornozelo machucado puxa ele pra cima e é lindo, porque é trabalho em equipe, sabe?
E basicamente, nós perdemos claro, porque eu acredito que as pessoas podiam enxergar a verdade no que fazíamos, nos colocaram à prova, porque eles concordaram com o outro video que eram só grandes manobras, monkey gainer, bla bla..
Então fizeram isso porque é o que o mundo lhes diz o que é melhor e o que não é, e escolheram esse.Mas começaram a entender pela nossa atitude que era algo mais, uma filosofia..
Então fomos pra segunda etapa… (fim do video)