Embora tenhamos falado muito a respeito do Art du Deplacement And Parkour Teaching Certification (A.D.A.P.T.), muita gente ainda não compreende de fato o que isso significa.

Em poucas palavras, trata-se de um certificado em 3 níveis diferentes de ensino do Parkour e que é emitido pelo ParkourUK (organização oficial que regulamenta a atividade na europa). As aulas de preparação para o ADAPT são ministradas por alguns dos maiores ícones do Parkour mundial, dentre eles os membros do Parkour Generations e do Yamakasi.

O Brasil atualmente conta com 13 tracers certificados (veja abaixo lista divulgada essa semana com todos os certificados).

Expanda o tópico para maiores informações, ficar por dentro de algumas curiosidades e checar a lista dos brasileiros ADAPTados.

O ADAPT não é um carimbo de “esse cara é foda!” e muito menos serve para tornar um praticante superior a outro. Ao contrário, o motivo pelo qual um tracer se submete ao curso normalmente é orientado pelo mais puro desejo de fazer bem a comunidade do Parkour e por se preocupar com o futuro da atividade. É a busca por conhecimento em prol daqueles que serão beneficiados com o seu estudo.

Dessa forma, basicamente qualquer pessoa bem resolvida com sua situação no Parkour e determinada a transmitir sua experiência a outros praticantes pode se submeter a ele. Basta que se inscreva (mediante os pré-requisitos) e compareça ao curso de treinamento que antecede a prova de certificação. 

Como dito anteriormente o certificado é dividido em 3 níveis:

LEVEL 1:
Certifica o participante como ASSISTENTE

Essa primeira etapa da certificação somente habilita o praticante a DAR SUPORTE e AUXILIAR as aulas de parkour ministradas por uma pessoa que tenha no mínimo o Level Dois. Ele certifica que as pessoas saibam o que é Parkour, compreendam os princípios básicos da atividade e sejam capazes de auxiliar um treino básico promovendo a segurança dos que estão a sua volta. Porém, o praticante ainda não pode ministrar aulas por conta própria. 

Para se submeter ao nível um, o praticante precisa:
– Passar por um curso de Parkour ministrado pelos instrutores de nível 2 e 3
– Apresentar ficha criminal limpa
– Ter recebido, no mínimo, um curso de treinamento com alguma das pessoas certificadas no nível 3

LEVEL 2:
Certifica o participante como INSTRUTOR

Esse estágio, acredito eu, é o mais visado pelos praticantes que entram na jornada de qualificação. Pois agora sim ele se torna certificado para LIDERAR um treino envolvendo os príncipios básicos da atividade, instruir movimentações simples e sem necessitar de supervisão ou acompanhamento. A pessoa certificada no nível dois torna-se apto a ensinar o Parkour para qualquer pessoa e em qualquer situação necessária. Ela é também capaz de lidar com todos os aspectos da disciplina e ensinar os movimentos básicos que compõe a movimentação dentro do Parkour.

Para se submeter ao nível dois, o praticante precisa:
– Ter sido indicado por algum instrutor nível 3 para poder realizar o nível 2
– Já possuir o primeiro certificado, e estar com ele atualizado
– Apresentar ficha criminal limpa
– Ter recebido, no mínimo, um curso de treinamento com alguma das pessoas certificadas no nível 3

 LEVEL 3:
Certifica o participante como MESTRE

A pessoa certificada no nível 3 é aquela capaz de DAR ORIGEM a novos instrutores e asisstantes. É o ponto mais alto da certificação e que é ocupado somente por seus criadores. Mesmo pessoas de renome que estão fazendo o ADAPT como o Kazuma, o Blane e o Foucan não o possuem ainda. Os pré-requisitos para se tornar um certificado nível 3 ainda não foram divulgados, mas se o nível dois já é mediante indicação, o nível 3 deve ser somente pra quem for extremamente intímo do seleto grupo.

BRASILEIROS CERTIFICADOS NO NÍVEL UM:
(Lista completa com todos os certificados no mundo)

Arthur de Alvarenga Barros – Belo Horizonte; Brasil
Bruno Peixoto Frederico – Belo Horizonte; Brasil
Conrado Garcia Costa Belo – Horizonte; Brasil
Daniel Moraes de Carvalho – Belo Horizonte; Brasil
Gabriel Cunegato – Santa Maria; Brasil
Kalebe Silva – Palhoga; Brasil
Leonardo Alves Carega – Brasilia; Brasil
Lucas Ribeiro de Lima – Curitiba; Brasil
Luiz Gustavo Martinez – Curitiba; Brasil
Marlon Teodoro Silva – Belo Horizonte; Brasil
Pedro Santigas – London; UK
Poliana da Silva Sousa – Brasilia; Brasil
Thiago Ramalho de Azevedo – Belo horizonte; Brasil

CURIOSIDADES:

– No ínicio desse ano, Sebastien Foucan se submeteu ao ADAPT nível um. Hoje, ele se encontra no nível dois. É estranho imaginar um dos criadores da atividade sendo instruído por outras pessoas.

Todos os brasileiros certificados, com exceção do brasiliense Pedro Santigas, fizeram seu curso ao mesmo tempo em Belo Horizonte.

– O brasileiro Pedro Santigas recebeu a certificação dele em Londres, e por isso o seu nome não aparece anexado ao Brasil no site.

– Nossa querida Poliana Sousa, de Brasília, é a única traceuse brasileira certificada, e fora ela, só temos mais 4 meninas em todo o mundo. 

– O Brasil é o terceiro país com mais praticantes certificados (13), ficando atrás somente dos Estados Unidos (31) e do Reino Unido (29).

David Belle endossa as iniciativas do Parkour Generations e do ParkourUk, mas até o momento não manifestou interesse no ADAPT.

– Os valores para se obter o certificado varia de acordo com o nível e com a quantidade de praticantes na turma.

– O certificado NÃO TEM validade oficial em nenhum país que não seja o Reino Unido.

– Recentemente, o ParkourUk formou a primeira turma de nível um nos Estados Unidos (até então não havia ninguém certificado na américa do norte).