Recentemente, tracers americanos se negaram a promover a Red Bull pois não queriam o envolvimento da atividade com bebidas energéticas. Há uns meses atrás, chineses foram alvo de crítica mundial por terem divulgado o Parkour em uma campanha publicitária de cigarros. E ao que tudo indica, o alvo dessa vez, infelizmente, são os brasileiros.

Em sua nova campanha comercial, a Campari, uma empresa de CACHAÇA, teve a infeliz idéia de realizar uma ação na forma de mini-documentários a respeito de 150 pessoas apreciadoras da bebida. Digo infeliz porque a intenção é criar uma galeria genérica, sobre assuntos diversos, não importando se a associação da marca ao que é exposto é ou não é prejudicial.

Mas isso não é motivo pra notícia e nem preocupação. Afinal de contas, será que existe alguém em sã consciência que iria anexar atividades esportivas (sobretudo o Parkour) ao consumo de cachaça? O pior é que existe. Puta que pariu! Existe!

Desde 2009, foi instaurada no Brasil a Lei Anti-Fumo que, em um de seus pontos, proíbe o uso de esportes em campanhas publicitárias do tabaco. Eu confesso que não ficaria nem um pouco triste se o mesmo fosse feito com relação a bebidas alcoólicas.

CORREÇÃO: A Lei que vetou a propaganda de cigarros no Brasil foi a Lei 10.167/2000.

É com ódio no coração que digo que basta expandir o tópico para ver essa droga de vídeo.