No mês passado a Revista Brasileira de Medicina do Esporte publicou um estudo sobre Parkour. O artigo “Perfil da Aptidão Física dos Praticantes de Parkour” foi produzido pelo Núcleo de Pesquisa em Qualidade de Vida (NQV) em conjunto com Grupo de Aulas de Parkour (GAP).

A pesquisa analisou tracers em variados aspectos – potencia, medidas corporais, resistência muscular localizada, flexibilidade, capacidade cardiorrespiratória. Foram utilizados 13 tracers de Curitiba com tempo mínimo de pratica de 6 meses.

Expanda o tópico para ver os resultados e comentários.

  • 53,85% dos indivíduos apresentaram capacidade cardiorrespiratória inferior da adequada.
  • 54.00% dos indivíduos apresentaram índices de resistência (fadiga) mediana ou superior.
  • 69.23% dos indivíduos apresentaram índices de flexibilidade inferiores ou medianos.
  • 46.15% dos praticantes apresentaram baixa aptidão de resistência abdominal, e 53.85% apresentaram aptidão recomendável (boa).
  • 84.62% dos praticantes apresentaram bons níveis de força/resistência de membros superiores
  • A potência média dos praticantes avaliados foi considerada como regular em todos os indivíduos.

“As evidências apresentadas nesta pesquisa sugerem que a prática do Parkour proporcionou maior desenvolvimento dos membros superiores, o que pode ser atribuído à predominância de saltos e atividades para transpor obstáculos urbanos ou naturais com ampla utilização dos braços durante a sua prática. Entretanto, as demais variáveis não apresentaram valores acima da média populacional, o que deve ser considerado pelo educador físico ao prescrever outros exercícios complementares visando a promoção da saúde dos indivíduos. A prática de Parkour parece não exigir grande aptidão física em sua prática, sugerindo que possa ser realizada por qualquer pessoa dentro das suas condições físicas e limitações.”

O interessante é que as variadas evidencias indicadas nesse estudo coincidem com criticas entre tracers. Normalmente encontramos praticantes realizando coisas que seus corpos não suportam/toleram, alias esse é o maior motivo de lesões dentro da pratica: condicionamento físico deficiente ou inadequado.

 

Materia  Original: GAP – Perfil da Aptidão Física dos Praticantes de Parkour

Artigo Completo: NQV – Perfil da Aptidão Física dos Praticantes de Parkour